Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

A IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO PARA A NOSSA SAÚDE

A IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO PARA A NOSSA SAÚDE
5 (100%) 5 votos

ALIMENTAÇÃO E A NOSSA SAÚDE

 

Apesar de vivermos num mundo onde metade da população sofre de carência alimentar e quase 1/5 vive em situação de miséria, cresce a  consciência da importância de uma dieta mais natural, composta por produtos puros, integrais, orgânicos ou livres de contaminação  química, aditivos e agrotóxicos. Embora não seja possível manter uma dieta somente nessas bases, já se valoriza muito esse tipo de  alimentação. Há muitos movimentos pró-vegetarianismo por todo o mundo e cresce o número de entrepostos de alimentos naturais e produtos afins. Pode-se dizer que esse movimento ou essa conscientização começou na década de 60 com os ensinamentos de Georges Ohsawa, o mestre da macrobiótica.

 

 

 

 

Há várias décadas observa-se o crescimento da consciência médica holística, onde a alimentação e as dietas curativas representam a sua viga mestra. A nova medicina ensina que a maior parte dos desequilíbrios, degenerações e doenças originam-se da alimentação comum rica em toxinas, e que uma dieta saudável é a base de uma boa saúde, além de ser um método preventivo eficaz contra as moléstias.

 

Um entendimento semelhante está sendo aplicado para o tratamento de doenças cardíacas, que só agora estão sendo ativamente discutidas pelos médicos convencionais. No tratamento das doenças cardíacas tenta-se atuar sobre um coração já debilitado de modo a melhorar seu funcionamento por meios farmacológicos e cirúrgicos. Nos últimos anos, foram feitas tentativas de criar um ambiente metabólico melhor para o coração através da modificação alimentar, que estimulem a perda do peso e a redução dos níveis de colesterol, obviamente combinadas à eliminação do habito de fumar e de programas bem elaborados de exercícios físicos. No princípio, poucos médicos ortodoxos acreditaram que uma modificação na dieta poderia reverter a arteriosclerose. Todavia, quando morreu Nathan Pritikin , o defensor da  aplicação da dieta vegetariana para cardíacos , a autópsia do seu corpo  confirmou suas alegações . Pritikin já tivera antes um problema que fora diagnosticado como arteriosclerose. Um cateterismo coronário havia confirmado o grau de estreitamento de seus vasos sanguíneos. Entretanto, depois de várias décadas de rigorosa modificação em sua dieta, a autópsia do seu corpo revelou que as coronárias de Pritikin estavam abertas e livres de obstrução.Além do mais, o nível de colesterol em seu sangue estava  extremamente baixo para a sua idade. Isso era resultado de uma dieta com pouca gordura e baixos níveis de colesterol.

ABORDAGEM HOLÍSTICA

 

A utilização de modificações no estilo da vida para tratar e prevenir doenças é mais uma das abordagens holísticas que começaram a conquistar espaço na medicina convencional. O fato de muitos médicos estarem agora aconselhando seus pacientes a fazerem alterações na dieta e no nível de atividade física demonstra como a medicina tradicional, lentamente, está adotando ideias antes defendidas pela escola holística.

 

Entre aqueles que se dedicam à pratica da medicina holística há quase unanimidade quanto à importância de se associar uma dieta mais natural, pura e inteligente a qualquer tipo de tratamento. Isto não poderia ser diferente para o caso das terapias com flores, na aromaterapia, na homeopatia, etc.

 

Um organismo mais purificado, livre de toxinas e de energias deletérias, obviamente responderá muito melhor ao estimulo curativo promovido pelas flores. Experiências com o efeito Kirlian realizadas na Califórnia, mostraram que as pessoas essencialmente carnívoras e que se alimentam mal, ingerindo sanduíches, molhos fortes, doces em demasia, etc., apresentam maior redução do campo energético, ao mesmo tempo em que seus canais de energia vital , mostram-se obstruídos por  cascões  energéticos. Ao contrário, os vegetarianos, macrobióticos e naturistas em geral, apresentam maior exuberância energética e canais mais livres. A resposta destes às terapias florais é mais intensa, pelo que se percebe maior sensibilidade à presença da força curativa floral; em outras  palavras , estes últimos “sentem ” mais a presença e os efeitos da energia  de cura, bem como as transformações sutis que ocorrem no seu corpo e nas suas mentes.

 

Tanto os alimentos industrializados quanto as carnes animais condicionadas (linguiças, salsichas, presunto, carne de porco, etc ), além de exauridos de energia vital , possuem um padrão vibratório muito denso que altera o organismo e permanece ligado ou enraizado às áreas mais enfraquecidas , contribuindo para o surgimento e a manutenção das doenças , principalmente o câncer e o reumatismo. Estas toxinas energéticas agem também a nível psíquico ou mental determinando sensações ou reações de diversos tipos; comumente são responsáveis pela irritabilidade, preguiça, cansaço, falta de memória, procrastinação, lascívia e dores de cabeça, além de outros problemas.

Portanto, uma dieta rica m cereais integrais, frutas da estação, verduras e legumes puros, raízes, tubérculos, mel, castanhas, misso, tofu (queijo de soja), e outros, constituem um método alimentar seguro e saudável, que deve acompanhar os tratamentos florais.

Extraído de um livro de Marcio Bontempo, por Ismê Lucas

Gostou do Artigo?? Deixe o seu comentário e compartilhe com os amigos.