Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

CLORETO DE MAGNÉSIO

CLORETO DE MAGNÉSIO
5 (100%) 5 votos

O cloreto de Magnésio é um Suplemento Mineral, procedente da água do mar.

Catalisa a atividade de enzimas, hormônios e vitaminas necessárias à vida, estimula as sínteses bioquímicas do organismo, age sobre o sistema simpático, freando a atividade nervosa, acelera a respiração celular, influi sobre o equilíbrio neuro-muscular, entra na formação dos dentes e ossos, regula a absorção do cálcio e potássio.

Equilibra o ph sanguíneo pela neutralização direta de ácidos no sangue. Como resultado, ele colabora para a formação e fortalecimento dos tecidos ósseos e cartilaginosos, revigorando o organismo e estimulando sua produção de defesas contra enfermidades.

O cloreto de magnésio não é remédio, mas alimento. Não tem contra-indicação, a não ser para quem sofra de insuficiência renal. É compatível com qualquer medicamento simultâneo.

O adulto precisaria obter dos alimentos o equivalente a três doses; se não conseguir, pode aumentar um pouco a dose diária para não adoecer; dificilmente se ultrapassa o limite, pois as doses indicadas para pessoas de 40 a 100 anos são mínimas.

O cloreto de magnésio põe em ordem todo o corpo. É substituível pelo hidróxido de magnésio (leite de magnésia), pois este ao entrar no estômago reage com o ácido clorídrico, transformando-se em cloreto.

Preparo: dissolver 33 gramas de cloreto de magnésio em 1 litro de água filtrada. Depois de bem misturado, colocar em vasilhames de vidro e guardar na geladeira. A dose é um cálice de licor (ou copo de cafezinho) segundo a idade: dos 20 anos aos 55 anos 1/2 dose, ou seja, meio cálice; dos 55 anos, aos 70 anos, uma dose (um cálice), dos 70 anos aos 100, uma dose pela manhã e 1 dose à noite. Em casos crônicos de doenças 2 X ao dia. Ref.: J. Shorr – Padre, Professor de Física, Química e Biologia do Colégio Catarinense / Sta. Catarina.

 


As pesquisas abaixo confirmam efeito sobre:

 

1.Tratamento e controle da arteriosclerose

  • Baixa toxidade

 

  • Redução e controle da pressão sanguínea alta

 

  • Equilíbrio de distúrbios glicêmicos devido a interferir em um aumento da sensibilidade dos receptores de insulina na superfície das células. Isso portanto pode ser útil no controle de problemas de hiperglicemia em diabéticos.

 

Então o magnésio pode ajudar em:

 

  • Problemas circulatórios, como ateroesclerose, edemas, varizes, inchaços.

 

  • Risco de infarto, síndrome do prolapso da válvula mitral, arritmias, perda do tônus cardiaco.

 

  • Stress crônico, depressão moderada, síndrome do pânico, desgaste do sistema nervoso.

 

  • Inflamações como artrites, reumatismo, osteoartrites e dores como a fibromialgia.

 

  • Diabetes do tipo I e II.

 

  • Osteoporose e problemas ósseos.

 

  • Prisão de ventre.

 

  • Hipertensão.

 

  • Cãimbras e dores nas pernas e extremidades.

 

  • Ataques asmáticos

 

  • Rachaduras de pele, psoríases, eczema, acne, alergias e outros problemas de pele.

 

  • Síndrome da fadiga crônica.

 

  • Equilíbrio do ph sanguíneo.

 

  • Prevenção do câncer.

 

  • Equilíbrio das funções do sistema imunológico.

 

  • Gastrite.

 

  • Parkinson.

 

  • Síndrome da fadiga crônica.

 

  • Gota e ácido úrico.

 

Gostou do Artigo?? Deixe o seu comentário e compartilhe com os amigos.